louca para casar - sophie kinsella (1)

Click here to load reader

Post on 04-Jun-2018

232 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    1/259

    EBOOK4KINDLE

    O MAIOR PORTAL DEEBOOKS DO BRASIL

    LIVRO: LOUCA PARA

    CASARAUTORA: SOPHIE KINSELLA

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    2/259

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    3/259

    PRLOGO

    Um grupo de turistas parou, boquiaberto, para admirar Milly vestida denoiva nos degraus do cartrio. Eles lotaram a calada em frente, enquanto os

    transeuntes de Oxford, acostumados ao fluxo cotidiano, apenas desviavam, semse dar ao trabalho de reclamar. Alguns olhavam na direo do cartrio para vero que causava tamanho alvoroo, e, tacitamente, admitiam que o jovem casalrealmente formava um par que chamava ateno.

    Alguns chegaram a sacar suas cmeras, e Milly sorria feliz para eles,deleitando-se com a ateno recebida e tentando visualizar em sua mente aimagem que formava ao lado de Allan. Seu cabelo espetado e loirssimobrilhava sob o sol da tarde; o vu alugado pinicava, a renda de nilon dovestido parecia desconfortavelmente mida onde quer que tocasse seu corpo.Mesmo assim, ela estava alegre e tomada pela euforia. E sempre que olhava

    para Allan, seu marido, uma nova e intensa onda de emoo percorria seucorpo, obliterando toda e qualquer outra sensao.

    Ela chegara a Oxford h apenas trs semanas. As aulas haviamterminado em julho e, enquanto seus amigos planejavam viagens a Ibiza,Espanha e Amsterd, Milly tinha sido enviada a um curso de secretariado emOxford. Muito mais til do que umas frias bobas,anunciara sua me em tomfirme.E pense na vantagem que voc ter sobre seus concorrentes na hora de procurarum emprego.Mas Milly no estava interessada em vantagens. Ela s queria umbronzeado e um namorado. Afora isso, no queria saber de mais nada.

    Assim, no segundo dia do curso de datilografia, ela deu uma escapadadepois do almoo. Achou um cabeleireiro barato e, num mpeto de liberdade,repicou e clareou o cabelo. Em seguida, sentindo-se leve e feliz, vagou pelasruas montonas e ensolaradas de Oxford, embrenhando-se por frias abbadasde mosteiros e capelas, espreitando atrs de arcos de pedra, tentando encontrarum lugar para tomar banho de sol. Foi pura coincidncia ela ter escolhido ogramado do Corpus Christi College justamente em frente aos aposentos deRupert, e ele ter decidido passar aquela tarde sem fazer nada, apenas deitadona grama ao lado de Allan, bebendo Pimm's.

    Ela j os observara discretamente quando eles passaram, fizeram um

    brinde e acenderam um cigarro. Fitara-os mais atentamente quando um delestirou a camisa, revelando o torso bronzeado. Chegara a ouvir alguns trechos daconversa que flutuava pelo ar, e se viu disposta a conhecer aqueles jovensdespretensiosos e bonitos. Quando, de repente, o mais velho se dirigiu a ela, seucorao pulou de empolgao.

    Tem isqueiro? O sotaque era americano e o tom era irnico eanimado.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    4/259

    Sim gaguejou ela, tateando o bolso. Tenho sim.

    que somos muito preguiosos. Os olhos do mais jovem , maistmidos e mais inseguros, encontraram os seus.

    Eu tenho um isqueiro, bem atrs daquela janela disse, apontandopara um arco de pedra cujo vo era dividido por uma barra vertical. Mas estmuito quente para andar at l.

    Gostaramos de retribuir seu gesto oferecendo um copo de Pimm's disse o americano, estendendo a mo. Prazer, Allan.

    Rupert apresentou-se o outro.

    Pelo restante da tarde, ela se refestelou na grama na companhia deles,embebedando-se de sol e lcool. Flertou e riu, fazendo ambos gargalharem comsuas descries engraadas das secretrias do curso. Experimentou umaexpectativa crescente com o passar das horas, uma vibrao sexual cada vezmais intensa por se tratar de dois jovens, ambos lindos. Rupert era esbelto elouro como um leo jovem; seu cabelo era uma aurola dourada e brilhante, osdentes brancos contrastavam com a pele lisa e bronzeada. Allan tinha o rostoenrugado e o cabelo grisalho nas tmporas, mas os olhos verde-acinzentados dorapaz faziam seu corao pular quando cruzavam com os seus. A voz deleacariciava seus ouvidos como seda.

    Quando Rupert se deitou de costas e, olhando para o cu, disse "Vamossair para comer alguma coisa esta noite?", ela pensou que ele a estava

    convidando para um encontro. Sentiu-se tomada por uma alegria repentina;reconhecendo, logo em seguida, que preferia que o convite tivesse partido deAllan.

    Mas logo depois, Allan disse:

    Claro!

    Depois, ele se debruou e, sem a menor cerimnia, beijou Rupert na boca.

    Aps o terrvel choque inicial, Milly percebeu que, estranhamente, no se

    incomodou com aquilo. Alis, era melhor assim: dessa forma, ela teria os doispara si. Naquela noite , os trs foram a San Antonio, onde ela se deliciou com osolhares invejosos de duas secretrias que ocupavam uma mesa ao lado. Nanoite seguinte, ouviram jazz em um velho gramofone, beberam julepo dementa, e ela aprendeu a enrolar cigarros de maconha. Em uma semana, eles setornaram um trio inseparvel.

    No demorou muito, Allan a pediu em casamento.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    5/259

    Imediatamente, sem pensar, Milly aceitou a proposta. Supondo que ela

    no estivesse falando srio, Allan riu e comeou a explicar sua condio. Elefalou sobre vistos , funcionrios do Ministrio do Interior, sistemas antiquados ediscriminao contra gays. O tempo todo ele a olhou com ar de splica, como seainda precisasse de mais argumentos para convenc-la. Mas ela j estavaconvencida, j vibrava de emoo s de pensar em usar um vestido de noiva esegurar um buqu; seria a coisa mais excitante que faria em toda a sua vida. Squando Allan, franzindo a testa, disse "No consigo acreditar que estoupedindo que algum viole a lei por mim!", e que ela se deu conta do que estavaacontecendo. Mas a ligeira inquietao que comeava a afligir sua mente no secomparava a alegria que a dominou quando Allan a abraou e murmurou emseu ouvido: "Voc um anjo." Milly sorriu, sem flego, e disse do fundo docorao: Ah, que nada".

    Agora estavam casados. Haviam feito os votos rapidamente: Allan, emtom formal, surpreendentemente srio; Milly, com a voz trmula, tentandocontrolar o riso. Em seguida, ambos assinaram os registros. Primeiro ele, com amo rpida e destra; depois ela, tentando produzir a assinatura perfeita exigidapela ocasio. E, para surpresa de Milly, estava feito. Eles eram marido e mulher.Allan esboara um sorriso tmido e a beijara. Ela ainda sentia levemente o toquedos lbios dele, e seu dedo anelar continuava desconfortvel com a aliana deouro.

    Chega de fotos disse Allan. No queremos chamar ateno.

    S mais um pouquinho pediu Milly rapidamente. Fora muito difcil

    convencer Allan e Rupert de que ela deveria alugar um vestido de noiva e,agora que o estava usando, queria prolongar o momento o mximo possvel.Ela chegou mais perto de Allan e segurou-lhe o brao, sentindo a textura sperado terno contra sua pele. Uma forte brisa de vero comeou a despentear seuscabelos, balanando o vu e refrescando a parte de trs de seu pescoo nu. Umpanfleto com um programa de teatro era arrastado ao longo da sarjeta vazia eseca; do outro lado da rua, os turistas comeavam a se dispersar.

    Rupert! gritou Allan. Chega de fotos!

    Espere! disse Milly desesperada. E o confete?

    Tudo bem assentiu Allan, tolerante. Acho que no podemosesquecer o confete da Milly.

    Ele levou a mo ao bolso e lanou no ar uma poro de rodelinhas depapel multicoloridas. Neste momento, outra rajada atingiu o vu de Milly e,desta vez, o arrancou da pequena tiara de plstico presa ao cabelo e lanou-o noar como uma nuvem difana de fumaa. O adereo aterrissou no cho, aos ps

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    6/259

    de um rapaz de cabelos escuros, de aproximadamente 16 anos, que se abaixou eo apanhou. Ele o observou cuidadosamente, como se examinasse um artefatoestranho.

    Ei! chamou Milly imediatamente. Isso meu! E comeou adescer os degraus, deixando um rastro de confete atrs de si. Isso meu repetiu, com todas as letras, a medida que se aproximava do rapaz, temendotratar-se de um estudante estrangeiro, que talvez no entendesse ingls.

    Tudo bem disse ele em tom srio e educado. Eu o peguei.

    Ele lhe entregou o vu e ela sorriu constrangida, tentando um breveflerte. Mas a expresso do rapaz no se modificou; por trs do reflexo dosculos redondos, Milly percebeu um leve desprezo, tipicamente adolescente.Sentiu-se um tanto ridcula, vestida de noiva e sem o adereo da cabea.

    Obrigada disse ela, pegando o vu.

    Ele deu de ombros.

    De nada.

    O rapaz a observou enquanto ela, pouco a vontade diante de seu olharfixo, prendia as camadas de tule no lugar.

    Parabns acrescentou ele.

    Parabns por qu? perguntou Milly sem pensar. Ento, ergueu osolhos e ruborizou. Ah sim, claro. Obrigada.

    Que voc tenha um casamento feliz disse o rapaz em tominexpressivo. Ele acenou com a cabea e, antes que Milly pudesse dizer algomais, foi embora.

    Quem era? perguntou Allan, surgindo ao seu lado.

    No sei respondeu Milly. Ele desejou um casamento feliz.

    Um divrcio feliz seria mais apropriado disse Rupert, apertando amo de Allan. Milly viu que ele resplandecia de alegria e estava mais bonito doque nunca.

    Milly, sou muito agradecido a voc disse Allan. Ns dois somos.

    No h o que agradecer admitiu ela. Honestamente, foidivertido!

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    7/259

    Bem, mesmo assim. Compramos uma coisinha para voc. Allan

    dirigiu o olhar a Rupert e, em seguida, retirou do bolso uma pequena caixa.Entregou-a a Milly. Prolas de gua doce explicou, quando ela a abriu. Esperamos que voc goste.

    Adorei! disse Milly com os olhos brilhando. Vocs noprecisavam ter se incomodado!

    Fizemos questo disse Allan com ar srio. Para agradecer por seruma grande amiga e uma noiva perfeita. Ele prendeu o colar no pescoo deMilly e ela corou de satisfao. Voc est linda constatou de modoafetuoso. A esposa mais bela que um homem poderia desejar.

    E agora, que tal um champanhe? anunciou Rupert.

    Eles passaram o resto do dia navegando pelo rio Cherwell, bebendochampanhe vintage e fazendo brindes rebuscados. Nos dias que se seguiram,Milly passou todo o tempo livre com Rupert e Allan. Nos fins de semana, iamde carro para a zona rural e faziam piqueniques requintados sobre toalhas deestampa xadrez. Visitaram Blenheim, e Milly insistiu em assinar o livro devisitantes como Sra. Allan Kepinski. Trs semanas depois, quando o curso desecretariado acabou, Allan e Rupert organizaram uma despedida: reservaramuma mesa no Randolph, fizeram-na pedir trs pratos e no a deixaram ver ospreos no cardpio.

    No dia seguinte, Allan levou-a at a estao, ajudou-a a colocar sua mala

    no compartimento de bagagens e secou suas lgrimas com um leno de seda.Em seguida, deu-lhe um beijo de despedida, prometeu escrever e disse que, embreve, se encontrariam em Londres.

    Milly nunca mais o viu.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    8/259

    CAPTULO UM

    Dez anos depois

    quarto era grande e arejado, com vista para as ruas descoradas de Bath,cobertas por uma camada da neve de janeiro. Fora redecorado halguns anos de forma tradicional, com papel de parede listrado e

    algumas peas georgianas, que, no momento, estavam completamente perdidassob a confuso de roupas brilhantes, CDs, revistas e maquiagem empilhadosem cada superfcie disponvel. Num canto, um belo guarda-roupa de mognoestava quase inteiramente encoberto por uma enorme capa para vestidos feitade algodo branco; sobre a escrivaninha, uma caixa para chapus e, no cho aolado da cama, uma mala pela metade, com roupas de vero para uma viagemde lua de mel.

    Milly, que subira um pouco mais cedo para terminar de fazer as malas,reclinou-se confortavelmente na cadeira, deu uma olhada no relgio e mordeuum pedao da ma do amor. Em seu colo, uma revista de papel brilhanteestava aberta na pagina que trazia perguntas das leitoras sobre questessentimentais. "Cara Anne", comeava a primeira carta. "Tenho um segredo quenunca revelei ao meu marido." Milly revirou os olhos. Nem precisava ler oconselho. Era sempre o mesmo: "Fale a verdade. Seja franca." Uma espcie decatecismo secular, a ser decorado e repetido sem reflexo.

    Ela passou os olhos pelo segundo problema: "Cara Anne. Ganho muitomais do que meu namorado." Milly mordeu a ma do amor com desdm.Grande problema! Virou a pgina, para a seo de decorao e se concentrouem uma variedade de cestos caros para papis. Ela no havia includo esse itemna lista de presentes de casamento. Talvez ainda houvesse tempo de faz-lo.

    No andar de baixo, algum tocou a campainha, mas ela no se moveu.No poderia ser Simon, pelo menos no ainda; devia ser um dos hspedes.Milly tirou os olhos da revista preguiosamente e observou ao redor. Aquelequarto era seu h 22 anos, desde que a famlia Havill se mudara para o nmero1 da Bertram Street, e ela implorara, sem xito, com o desespero de uma meninade 6 anos, para que ele fosse pintado de rosa, estilo Barbie. Desde ento, elaestudou fora, foi para a universidade, chegou at a morar um tempo emLondres e todas s vezes ela retornou; voltou para este quarto. Mas, nosbado, iria partir para nunca mais voltar. Moraria em sua prpria casa. Umnovo comeo. Como uma adulta, legitimamente casada.

    Milly? A voz de sua me interrompeu seus pensamentos, e Millylevou um susto. Simon chegou!

    O

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    9/259

    O qu? Milly deu uma olhadela no espelho e estremeceu diante desua aparncia desgrenhada. Ele no devia chegar agora.

    Posso mand-lo subir? A me colocou a cabea na porta einspecionou o quarto. Milly! Voc devia ter arrumado essa baguna!

    No o deixe subir pediu, olhando para a ma do amor em suamo. Diga a ele que estou provando meu vestido. Diga que eu vou descernum minuto.

    Assim que sua me desapareceu, Milly rapidamente jogou a ma doamor na lata de lixo. Fechou a revista, colocou-a no cho, mas achou melhorchut-la para debaixo da cama. Apressadamente, tirou a legging azul queestava usando e abriu o guarda-roupa. Em um dos lados, uma cala preta bem-cortada estava pendurada junto com uma saia grafite feita sob medida, umterninho cor de chocolate e uma variedade de camisas brancas impecveis. Dooutro lado, encontravam-se todas as roupas que ela usava quando no estavacom Simon: jeans rasgados, camisetas velhas, minissaias justas e chamativas.Todas as roupas das quais teria que se desfazer at sbado.

    Decidiu vestir a cala preta e uma das camisas brancas, e pegou o suterde caxemira que Simon lhe dera no Natal. Inspecionou rigorosamente a imagemno espelho, escovou o cabelo agora louro plido e na altura dos ombros at ele brilhar e calou um caro mocassim preto. Ela e Simon concordavam quecomprar sapatos baratos era uma falsa economia; at onde Simon sabia, acoleo inteira de sapatos de Milly compunha-se dos mocassins pretos, um parde botas marrom e o scarpin azul-marinho com fivelas, da Gucci, que ele

    mesmo comprara.Com um profundo suspiro, Milly fechou a porta do guarda-roupa,

    passou por cima de uma pilha de roupas ntimas espalhadas pelo cho eapanhou a bolsa. Em seguida, borrifou perfume, fechou a porta do quarto atrsde si e comeou a descer as escadas.

    Milly! Quando passou pelo quarto de sua me, uma voz sibilantechamou sua ateno. Venha aqui!

    Obediente, Milly entrou. Olivia Havill estava ao lado da cmoda, com a

    caixa de joias aberta. Querida continuou ela alegremente. Por que voc no usa

    minhas prolas esta tarde? sugeriu, erguendo uma gargantilha de prolas deduas voltas com fecho de diamantes.

    Ficaria linda com aquele suter!

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    10/259

    Me, ns s vamos falar com o vigrio disse Milly. No nadaimportante. No preciso usar prolas.

    claro que importante! retrucou Olivia. Voc devia levar isso asrio, Milly. S se faz os votos do matrimnio uma vez! Ela fez uma pausa. Alm disso, toda noiva da elite usa prolas. Ela ergueu o colar at opescoo da filha. Prolas verdadeiras. No aquelas coisas baratas.

    Eu gosto das minhas prolas de gua doce disse Milly em tomdefensivo. E no sou da elite.

    Querida, voc est a ponto de se tornar a Sra. Simon Pinnacle.

    Simon no da elite!

    No seja boba retrucou Olivia com firmeza. Claro que . O paidele multimilionrio.

    Milly revirou os olhos.

    Tenho que ir, me.

    Tudo bem. Com tristeza, Olivia ps as prolas de volta na caixa de joias. Faa como quiser. E, querida, no se esquea de perguntar ao cnegoLytton sobre as ptalas de rosa.

    Pode deixar concordou Milly. At logo.

    Ela desceu as escadas correndo, entrou no hall e pegou seu casaco, queestava pendurado ao lado da porta.

    Oi! cumprimentou Simon, que se encontrava na sala de estar.Enquanto ele se dirigia at o hall, ela passou os olhos rapidamente na primeirapgina do Daily Telegraphdaquele dia, tentando decorar o mximo demanchetes. Milly, voc est maravilhosa. Simon sorriu. Milly ergueu osolhos e retribuiu o sorriso.

    Voc tambm. Simon estava usando roupas de escritrio: um terno

    escuro que assentava impecavelmente em seu corpo firme e musculoso, umacamisa azul e uma gravata de seda roxa. O cabelo escuro caia por sua testaampla, e ele exalava um discreto perfume de loo ps-barba.

    Ento disse ele, abrindo a porta e conduzindo-a para fora, no arfresco da tarde. Vamos aprender como ser casados.

    disse Milly. No esquisito?

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    11/259

    Perda de tempo completou Simon. O que um vigrio velho e

    decrpito pode nos ensinar a respeito de casamento? Ele nem e casado.

    Bem, suponho que essas sejam as regras.

    S espero que ele no venha nos dar lio de moral. Isso simvai meirritar.

    Milly observou Simon. Seu pescoo estava retesado e ele olhavafixamente para a frente, com ar de determinao. Parecia um buldogue prontopara a briga.

    Eu sei o que eu quero do casamento prosseguiu ele, com osemblante fechado. Ns dois sabemos. No precisamos da interferncia deum estranho qualquer.

    Vamos apenas escutar e concordar em silncio props Milly. Edepois vamos embora. Ela tateou o bolso a procura das luvas. Dequalquer maneira, eu j sei o que ele ir dizer.

    O qu?

    "Sejam amveis um com o outro e no saiam por a dormindo comoutras pessoas."

    Simon pensou por um momento.

    Espero que eu consiga seguir esse primeiro conselho.

    Milly deu-lhe um tapinha e ele riu, puxando-a para perto de si e beijandoseu cabelo brilhante. Quando se aproximaram da esquina, ele enfiou a mo nobolso e acionou o controle do carro.

    Foi dificlimo encontrar uma vaga disse Simon ao ligar o motor. As ruas esto to cheias. Ele fez uma careta. Se esse novo projeto de leirealmente for adiante...

    O projeto de lei ambiental interrompeu Milly de imediato. Exatamente. Voc leu sobre isso hoje?

    Claro respondeu ela, lembrando-se rapidamente doDaily Telegraph. Voc acha que eles esto se concentrando na questo principal?

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    12/259

    Quando Simon comeou a falar, ela olhou para fora da janela, acenandodistraidamente com a cabea de tempos em tempos enquanto imaginava sedeveria comprar um terceiro biquni para a lua de mel.

    A SACRISTIA ERA GRANDE, arejada e cheia de livros, que revestiam asparedes e se equilibravam em pilhas empoeiradas no cho. Alm disso, quasetudo que no era livro se parecia com um: o bule de ch tinha motivos literrios;o para-fogo era decorado com desenhos de livros; at as fatias do bolo degengibre na bandeja lembravam os volumes de uma enciclopdia.

    O prprio cnego Lytton se assemelhava a uma folha de papel velho; suapele fina e ressequida parecia prestes a se rasgar a qualquer momento. Sempreque ria ou se tornava mal-humorado, seu rosto se enrugava completamente. Nomomento, como, alias, fizera durante a maior parte da reunio, ele exibia umacarranca. Suas espessas sobrancelhas brancas estavam juntas, seus olhosmantinham-se semicerrados em sinal de concentrao e a mo ossuda, quesegurava uma xcara de ch intacta, tremulava perigosamente no ar.

    O segredo de um matrimnio bem-sucedido e a confiana pregou.Confiana a palavra-chave. Confiana a base de tudo.

    Com certeza assentiu Milly, como tinha feito a cada trs minutos naltima hora. Ao olhar para Simon, viu que ele se inclinava para a frente, comose pronto para interromp-lo. Mas o cnego Lytton no era o tipo deinterlocutor que tolera interrupes. Todas as vezes que Simon tomava flegopara dizer algo, o clrigo aumentava o tom de voz e olhava em outra direo,

    deixando o noivo preso em um silncio frustrado, porem respeitoso. Ela sabiaque Simon gostaria de discordar da maior parte das coisas que o padre dissera.Ela, por sua vez, no tinha escutado uma palavra sequer.

    Seu olhar percorria distraidamente as estantes envidraadas a suaesquerda. L estava ela refletida no vidro. Elegante e chique, adulta e bem-arrumada. Sentiu-se satisfeita com sua aparncia. No que o cnego Lyttonlevasse isso em conta. Ele provavelmente considerava pecado gastar dinheirocom roupas. Diria que o mais certo era do-lo aos pobres.

    Milly mudou ligeiramente de posio, sufocou um bocejo e ergueu os

    olhos. Para seu espanto, viu que o cnego Lytton a observava. Ele estreitou osolhos ainda mais e interrompeu a frase.

    Desculpe deix-la entediada, querida disse ele de forma sarcstica. Voc j deve estar acostumada com esse discurso.

    Milly ruborizou.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    13/259

    No retrucou ela. Eu s estava... Ela voltou os olhosrapidamente para Simon, que sorriu e deu uma piscadela. S estou um poucocansada concluiu sem muita convico.

    A pobrezinha tem andado muito ocupada com os preparativos docasamento intercedeu Simon. H muito que organizar: o champanhe, obolo...

    De fato disse o cnego Lytton com uma expresso inflexvel. Mas devo lembrar-lhes de que o ponto crucial de um casamento no ochampanhe, nem o bolo, nem os presentes que vocs certamente recebero. Os olhos do religioso moveram-se rapidamente em torno da sala, como se elecomparasse seus objetos sombrios com os presentes caros e suntuososdestinados a Milly e Simon, e seu semblante tornou-se mais fechado. Ficoapreensivo prosseguiu, andando at a janela com a importnciameramente casual que muitos casais jovens do a celebrao do casamento. Osacramento do matrimnio no deve ser visto apenas como uma formalidade aser cumprida.

    Naturalmente no assentiu Milly.

    No simplesmente o preldio de uma grande festa.

    De jeito nenhum anuiu ela.

    Como as prprias palavras ditas na cerimnia sugerem, o casamentono deve ser assumido de forma superficial, irrefletida ou egosta, mas...

    E no ser! A voz de Simon se imps em um tom impaciente; ele seinclinou para a frente. Eu sei que provavelmente o senhor se depara todos osdias com pessoas que se casam pelos motivos errados. Mas esse no o caso,ns nos amamos e queremos passar o resto da vida juntos. E para ns, isso umassunto srio. O bolo e o champanhe no tm nada a ver com isso.

    Ele parou de falar e, por um instante, todos ficaram em silncio. Millytomou a mo de Simon e apertou-a.

    Entendo disse o cnego Lytton aps um momento. Bem, fico

    contente de ouvir isso. Ele se sentou, tomou um gole do ch frio eestremeceu. No minha inteno fazer um sermo desnecessariamente disse, pousando a xcara. Mas vocs no imaginam quantos casaisdespreparados me procuram querendo se casar. Jovens imprudentes, sem juzo,que mal se conhecem; moas fteis que querem uma desculpa para comprar umvestido bonito...

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    14/259

    Eu sei disso concordou Simon. Mas nosso relacionamento paravaler. Estamos levando isso a srio, fazendo a coisa certa. Nos conhecemosprofundamente, nos amamos e vamos ser muito felizes. Ele se debruou,beijou Milly com suavidade e olhou para o cnego, como se o desafiasse aquestionar.

    timo disse o religioso. Bem. Acho que j falei o bastante. Vocsrealmente parecem estar no caminho certo. Ele apanhou sua pasta e comeoua vasculhar dentro dela. H somente alguns assuntos...

    Isso foi lindo sussurrou Milly a Simon.

    verdade sussurrou ele em resposta, tocando delicadamente ocanto da boca da noiva.

    Ah, sim recomeou o cnego Lytton. Eu j devia ter mencionadoisso. Como vocs devem estar sabendo, o reverendo Harries no leu osproclamas do casamento domingo passado.

    mesmo? indagou Simon.

    Voc deve ter notado disse o cnego, olhando de forma maliciosapara Simon. Imagino que esteve presente na missa matinal?

    Ah, sim respondeu Simon aps uma pausa. Claro. Agora que osenhor mencionou, eu realmente percebi que havia alguma coisa errada.

    Ele lamentou muito; os reverendos sempre fazem isso. O cnegoLytton deu um suspiro de desagrado. Mas o dano j foi feito. Portanto, vocstero que se casar com uma licena especial.

    Oh disse Milly. O que isso significa?

    Significa, entre outras coisas, que eu devo pedir que vocs faam um juramento.

    Cacete praguejou Milly.

    Algum problema? Ele a olhou perplexo. No, nada corrigiu-se Milly. Prossiga, por favor.

    Vocs devem jurar solenemente que toda a informao que me deram verdadeira disse o cnego. Ele entregou a Bblia a Milly e, em seguida, umpedao de papel. Basta dar uma olhada. Verifique se est tudo correto e leiao juramento em voz alta.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    15/259

    Milly fitou o papel por alguns segundos, depois ergueu os olhos com um

    sorriso radiante.

    Tudo certo confirmou ela.

    Melissa Grace Havill disse Simon, lendo por cima do ombro danoiva. Solteira. Ele fez uma careta. Solteira!

    Ok disse Milly bruscamente , deixe-me ler o juramento.

    Est certo concordou o padre, sorrindo. Assim, como dizem,tudo fica nos conformes.

    QUANDO SAIRAM DA SACRISTIA, o dia estava frio e escuro. Flocos de nevecaam novamente; as luzes da rua j estavam acesas; uma fileira de delicadasluzes de Natal piscava numa janela logo em frente. Milly respirou fundo,mexeu as pernas rijas por terem permanecido imveis por muito tempo, e olhoupara Simon. Mas, antes que pudesse falar, uma voz triunfante veio do outrolado da rua.

    Ah-ah Peguei vocs!

    Me! exclamou Milly.

    Olivia disse Simon. Que surpresa encantadora!Olivia atravessou a rua sorrindo. Os flocos de neve pousavam no cabelo

    louro bem-cortado e nos ombros do casaco de caxemira verde. A maior parte desuas roupas tinha cores com nomes de joias azul-safira, vermelho-rubi, roxa-ametista e era adornada com fivelas douradas brilhantes e botes reluzentes,alm dos sapatos com enfeites dourados. Uma vez, chegara a cogitar a ideia deusar lentes de contato com matizes turquesa, mas acabou desistindo por acharque poderia se tornar alvo de risinhos sarcsticos. Ento, em vez disso, resolveutirar proveito do tom natural de seus olhos azuis, usando sombra dourada etingindo os clios de preto no salo uma vez por ms.

    Ela lanou um olhar afetuoso para a filha.

    Acho que voc no falou com o cnego Lytton sobre as ptalas derosa, no ? indagou.

    Ah, no! disse Milly. Esqueci.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    16/259

    Eu sabia! exclamou Olivia. Por isso achei melhor vir at aqui. Ela sorriu para Simon. Como distrada a minha menina, no ?

    Eu no diria isso retrucou Simon em tom firme.

    Claro que no! Voc esta apaixonado por ela! justificou Olivia,sorrindo e afagando os cabelos dele. De salto alto, ela ficava ligeiramente maisalta do que Simon e, apesar de ningum mais ter se dado conta disso, elepercebera, que desde o noivado, Olivia vinha usando saltos altos com maisfrequncia.

    Eu tenho que ir disse Simon. Preciso voltar para o escritrio.Estamos com muito trabalho no momento.

    Ns todos! exclamou Olivia. Faltam s quatro dias, voc sabe!Quatro dias para o casamento! E eu tenho mil coisas a fazer! Ela olhou paraMilly. E voc, querida? Esta com pressa tambm?

    No respondeu Milly. Tirei tarde de folga.

    Ento, que tal voltar para a cidade a p comigo? Poderamos tomar...

    Um chocolate quente no Mario's completou Milly.

    Exatamente. Olivia sorriu novamente. Sou capaz de ler ospensamentos de Milly como se fossem um livro aberto!

    Ou uma carta aberta disse Simon. Houve um breve e tensomomento de silencio.

    Bem disse Olivia com a voz entrecortada. Eu tenho que ir. Vejovoc noite, Simon. Ela abriu o porto e se afastou rapidamente, pisando emfalso na neve escorregadia.

    Voc no devia ter dito aquilo advertiu Milly assim que ela seafastou. Sobre a carta. Ela me fez prometer que eu no contaria a voc.

    Desculpe, mas sua me mereceu. Por que ela acha que tem o direito de

    ler uma carta que eu escrevi para voc?Milly deu de ombros.

    Ela disse que foi sem querer.

    Sem querer! Simon parecia indignado. Voc deve estarbrincando. A carta foi endereada a voc e estava no seu quarto!

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    17/259

    Bem comeou Milly, tentando justificar o deslize cometido pela

    me. Realmente no importa. Ela deu uma risadinha. Ainda bem quevoc no escreveu nada grosseiro sobre ela.

    Da prxima vez vou fazer isso. Simon checou o relgio. Desculpe, eu realmente preciso ir.

    Ele pegou a mo fria da noiva, beijou seus dedos suavemente e puxou-apara junto de si. Milly fechou os olhos ao sentir os lbios quentes e maciostocarem os seus. Ento, repentinamente ele se afastou, e uma rajada de ar friobateu no rosto dela.

    Eu tenho que ir. At logo.

    Tudo bem assentiu Milly. Nos vemos mais tarde.

    Sorrindo consigo mesma, ela observou o noivo acionar o controle docarro, entrar no veculo e subir rapidamente a rua. Simon estava sempre compressa. Sempre correndo para fazer algo, para concretizar alguma coisa. Eleprecisava sair todo dia, como um cozinho, fosse para fazer algo construtivo oupara se divertir. No admitia perder tempo, no entendia como Milly era capazde passar um dia inteiro sem fazer nada, ou no ter planos para o fim desemana. s vezes, juntava-se a ela em um dia de cio, repetindo varias vezesque era bom ter a oportunidade de relaxar. Porm, aps algumas horas,levantava-se num mpeto, dizendo que iria dar uma corrida.

    Na primeira vez que o vira, na cozinha da casa de um conhecido, eleestava falando ao celular, comendo batata frita e lendo as manchetes no jornal,tudo ao mesmo tempo. Quando Milly se serviu de uma taa de vinho, eleergueu sua prpria taa e, em uma pausa na conversa ao telefone, sorriu paraela.

    Obrigado disse ele.

    A festa na sala observou Milly.

    Eu sei concordou Simon, voltando os olhos ao jornal. Estarei l

    em um minuto. Milly revirou os olhos e o deixou sozinho, sem nem mesmose dar ao trabalho de perguntar o nome dele. No entanto, mais tarde, quando se juntou aos outros convidados, ele se aproximou e se apresentou de formaencantadora, desculpando-se poder sido to indelicado.

    Eram apenas algumas notcias sobre negcios em que eu estavaparticularmente interessado justificou.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    18/259

    Boas ou ms notcias? Milly bebeu um gole de vinho e percebeuque estava bbada.

    Depende de que lado se est.

    sempre assim, no ? Notcias boas para uns so ruins para outros.At... Ela fez um movimento com a taa no ar. At a paz mundial. Mnotcia para os fabricantes de armamentos.

    verdade. Suponho que sim. Nunca pensei nisso por esse ngulo.

    Bem, nem todos so grandes pensadores. Milly suprimiu o mpetode dar uma risada.

    Quer uma bebida?

    No. Mas voc pode me acender um cigarro.

    Quando ele se inclinou em sua direo, segurando cuidadosamente oisqueiro aceso, ela notou a pele lisa e bronzeada, a mo firme e o agradvelperfume da loo ps-barba. Ento, ao dar uma tragada, os olhos castanho-escuros dele pousaram nos seus e, para sua surpresa, ela sentiu um frio naespinha. Abriu um sorriso lentamente.

    Mais tarde, quando o bate-papo animado deu lugar a grupos de pessoassentadas no cho fumando um baseado, o tema da conversa passou a servivisseo. Milly, que por acaso tinha visto um especial do programa infantil

    Blue Peter sobre o assunto na semana anterior, enquanto se recuperava de umresfriado, fez comentrios mais concretos e bem-informados do que qualqueroutra pessoa, deixando Simon admirado.

    Alguns dias depois, ele a convidou para jantar e falou muito sobrenegcios e poltica. Milly, que no sabia nada sobre nenhum dos dois assuntos,limitou-se a sorrir e concordar. No fim da noite, pouco antes de beij-la pelaprimeira vez, Simon disse que ela era extremamente perceptiva e compreensiva.Um pouco mais tarde, quando ela tentou confessar que era totalmenteignorante em assuntos de poltica na verdade, em quase tudo , ele arepreendeu por ser modesta.

    Eu observei na festa como voc conseguiu destruir os argumentosinconsistentes daquele cara. Voc sabia exatamente sobre o que estava falando.Alis acrescentou de com olhar profundo , voc estava muito sexy. EMilly, que estava prestes a confessar sua fonte de informao, em vez disso,aproximou-se para que ele a beijasse novamente.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    19/259

    A impresso inicial de Simon a respeito dela nunca se modificou. Eleainda afirmava que ela era muito modesta, ainda acreditava que ela gostava dasmesmas exposies sofisticadas que ele, ainda perguntava a opinio dela sobreassuntos como a campanha eleitoral para a presidncia e ouvia suas respostascom ateno. Ele achava que ela gostava de sushi e que havia lido Sartre. Sem ainteno de engan-lo, mas tambm sem querer desapont-lo, ela lhe permitiuformar uma imagem que, sinceramente, no era de todo verdadeira.

    Ela no sabia o que iria acontecer quando comeassem a viver juntos. svezes, ficava alarmada diante da proporo com que sua personalidade foradistorcida; tinha certeza de que se sentiria exposta, uma fraude, na primeira vezque ele a flagrasse chorando aps ter lido um romance barato. De vez emquando, dizia a si mesma que a imagem que ele fazia dela no era de todoinexata. Talvez ela no fosse mulher sofisticada que ele pensava, mas poderiavir a ser. E seria. Tudo o que precisava era mudar o modo de se vestir; fazeralguns comentrios inteligentes ocasionais e permanecer discretamente calada orestante do tempo.

    Uma vez, no incio do relacionamento, quando estavam deitados naenorme cama de casal na casa dele em Pinnacle Hall, Simon confessou que aachara especial por ela no lhe fazer perguntas sobre seu pai. "A maioria dasgarotas", disse ele em tom amargo, "s quer saber como ser o filho de HarryPinnacle, conseguir uma entrevista de emprego ou algo assim. Mas voc... vocnunca sequer mencionou o nome dele."

    Ele a fitara admirado, e Milly dera-lhe um sorriso meigo, murmurandoalgo sem sentido. Ela no podia confessar, por nada neste mundo, que nunca

    mencionara o nome de Harry Pinnacle porque nunca tinha ouvido falar dele.

    ENTO, VAMOS JANTAR com Harry Pinnacle esta noite! Acho que vai sermaravilhoso. A voz da me de Milly interrompeu seus pensamentos.

    respondeu ela. Acho que sim.

    Aquele cozinheiro austraco divino ainda trabalha para ele?

    No sei. Milly percebeu que passara a imitar o tom desanimador deSimon sempre que falava sobre Harry Pinnacle. Simon nunca prolongava umaconversa sobre o pai; se as pessoas insistiam, ele mudava de assuntobruscamente ou at se afastava. Esquivara-se da futura sogra vrias vezesquando ela o pressionara sobre detalhes e histrias a respeito do pai clebre.Mas ela parecia no perceber isso.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    20/259

    O mais interessante sobre Harry disse Olivia pensativa que ele simples. Ela deu o brao a Milly e elas comearam a descer a rua coberta deneve. Eu digo a todo mundo: se voc o conhecesse, no imaginaria estardiante de um magnata, no se sentiria intimidado por estar diante do fundadorde uma rede de estabelecimentos de nvel nacional, mas pensaria "que homemencantador". E Simon igualzinho.

    Simon no um magnata corrigiu Milly. Ele um simplesvendedor de anncios.

    Ele est longe de ser simples, querida!

    Me...

    Sei que voc no gosta que eu fique falando isso. Mas a verdade queSimon vai ser muito rico um dia. Olivia apertou ligeiramente o brao deMilly. E voc tambm.

    Talvez. Milly demonstrou indiferena.

    No h razo para fingir que isso no vai acontecer. E quandoacontecer, sua vida vai mudar.

    No vai no.

    Os ricos vivem de forma diferente, voc sabe muito bem.

    H um minuto lembrou Milly , voc estava dizendo o quantoHarry simples. Ele no vive de forma diferente, vive?

    Isso muito relativo, querida.

    Ao se aproximarem de uma fileira de lojas sofisticadas, elas notaramuma vitrine discretamente iluminada e pararam. Nela, havia um nicomanequim elegante em seu pesado vestido de veludo branco.

    Este bonito murmurou Milly.

    No to bonito quanto o seu retrucou Olivia imediatamente. Ainda no vi um vestido to bonito quanto o seu.

    Tem razo. Ele mesmo muito bonito.

    perfeito, querida.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    21/259

    Elas se demoraram um pouco diante da vitrine, atradas pelo brilhorseo da loja: nuvens de seda, cetim e voile forrando todas as paredes, buques esapatinhos de damas de honra bordados. Olivia suspirou.

    Toda essa preparao para o casamento est sendo divertida, no ?Vou sentir falta quando acabar.

    Hummm.

    Houve um momento de silncio. Como se quisesse mudar de assunto,Olivia perguntou:

    A Isobel est namorando?

    Milly teve um sobressalto.

    Me! Voc no est tentando casar Isobel tambm.

    Claro que no! S estou curiosa. Ela nunca me conta nada. Euperguntei se ela pretendia trazer algum a recepo...

    E o que ela falou?

    Ela no respondeu admitiu Olivia com ar triste.

    Ento...

    Mas isso no significa nada. Me disse Milly. Se voc quer saber se Isobel tem um namorado,

    por que no pergunta a ela?

    Talvez assentiu Olivia com a voz distante, como se no estivessemais interessada. Talvez eu faa isso.

    UMA HORA DEPOIS, elas deixaram o Mario's Coffee House e foram para casa.

    Quando chegassem l, a cozinha estaria cheia de hspedes com os ps inchadosde tanto passear. A casa dos Havill, na Bertram Street, era uma das pensesmais populares de Bath. Os turistas adoravam a manso georgiana bem-mobilada por sua proximidade como centro da cidade, pelos modosencantadores e falantes de Olivia e pela habilidade dela de transformar cadaencontro em uma festa.

    O ch era sempre a refeio mais animada na casa; Olivia adorava reuniros hspedes na mesa para que eles degustassem ch Earl Grey com po doce.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    22/259

    Ela apresentava uns aos outros, ouvia atenciosamente quando relatavam o quehaviam feito durante o dia, recomendava lugares divertidos para a noite econtava fofocas atualizadas de pessoas que eles no conheciam. Se algumhspede demonstrava a inteno de ir para o quarto carregando uma chaleiraeltrica, recebia um olhar de reprovao e torradas frias no caf da manh.Olivia Havill detestava minichaleiras e aqueles pequenos pratos para saquinhosde ch usados; s os fornecia para ter direito as quatro estrelas noGuia de penses Heritage. Ela tambm detestava, embora oferecesse, TV a cabo, linguiasvegetarianas e uma prateleira cheia de folhetos sobre parques temticos locais eatraes para a famlia que, ela sempre constatava com satisfao, raramenteprecisava ser reabastecida.

    J ia me esquecendo observou Olivia ao entrarem na BertramStreet. O fotgrafo chegou quando voc estava fora. Um rapaz bem jovem. Ela comeou a vasculhar a bolsa, procurando a chave.

    Pensei que ele s viria amanh.

    Eu tambm! disse Olivia. Por sorte, morreu algum da famliadaqueles australianos simpticos, seno estaramos sem um quarto disponvel.E por falar em australianos... d s uma olhada!

    Ela ps a chave na porta e a abriu.

    Flores! exclamou Milly. Na sala, havia um enorme buqu de floresbrancas, amarradas com uma faixa de seda verde-escura. Para mim? Dequem?

    Leia o carto sugeriu Olivia. Milly apanhou o buqu e abriu oplstico da embalagem.

    "PARA A QUERIDA MILLY" ela leu devagar. "Estamos muitoorgulhosos de voc e lamentamos no podermos ir ao seu casamento.PENSAREMOS em voc. Com todo o nosso amor. Beth, Scott e Adrian." Milly olhou espantada para Olivia. No gentil da parte deles mandaremisso de Sidney? As pessoas so to gentis!

    Esto felizes por voc, querida afirmou Olivia. Todos esto

    felizes. Vai ser um casamento to maravilhoso! So mesmo lindas disse uma voz agradvel. Era uma hspede; uma

    mulher de meia-idade que descia as escadas usando cala azul e tnis. Florespara a noiva?

    Isso s o comeo retrucou Olivia, rindo.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    23/259

    Voc uma garota de sorte disse a mulher dirigindo-se Milly.

    Eu sei disse ela com um largo sorriso. Vou coloc-las na gua.

    Ainda segurando as flores, Milly abriu a porta da cozinha e parou,surpresa. Sentado a mesa, havia um jovem de jaqueta jeans surrada. Ele tinhacabelos castanho-escuros, usava culos de aro redondo de metal e lia oGuardian.

    Oi cumprimentou ela. Voc deve ser o fotgrafo.

    Oi respondeu o jovem, fechando as paginas do noticirio. Vocdeve ser a Milly. Quando ele desviou os olhos do jornal e ela viu seu rosto,reconheceu-o imediatamente.

    Com certeza j tinha visto aquele rapaz em algum lugar. Meu nome Alexander Gilbert anunciou em tom desprovido de entusiasmo, estendendoa mo. Milly se aproximou e a apertou educadamente.

    Lindas flores observou, acenando com a cabea em direo aobuqu.

    Sim, so lindas concordou Milly, fitando-o com curiosidade. Ondeo vira antes? Por que o rosto daquele rapaz parecia gravado na sua memria?

    Mas no o seu buqu de noiva.

    No. Milly curvou a cabea ligeiramente e inalou o doce perfumedas flores. Estas foram enviadas por uns amigos da Austrlia. Foi muitogentil da parte deles, levando-se em conta...

    De repente, ela parou de falar e sentiu o corao disparar.

    Levando-se em conta o qu? perguntou Alexander.

    Nada respondeu Milly, afastando-se. Quer dizer... vou lev-laspara a sala.

    Ela andou em direo porta, com as mos suadas segurando o plsticobarulhento que embalava as flores. Ela se lembrou de onde o vira antes. Sabiaexatamente onde tinha visto aquele rosto. S de pensar nisso, seu corao puloue ela cerrou os dentes, forando-se a se manter calma. "Est tudo bem", disse a simesma quando alcanou a maaneta da porta. "Esta tudo bem. Enquanto eleno me reconhecer... "

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    24/259

    Espere. A voz do rapaz interrompeu seus pensamentos, como se elepudesse ler sua mente. Prestes a ter uma vertigem, ela se virou e viu que ele afitava com o cenho franzido. Espere um minuto insistiu ele. Tenho aimpresso de que conheo voc de algum lugar.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    25/259

    CAPTULO DOIS

    reso em um engarrafamento no caminho para casa naquela noite,olhando a neve cair sem parar e o movimento rtmico do limpador dopara-brisa, Simon pegou o telefone para ligar para Milly. Digitou os dois

    primeiros nmeros e, em seguida, mudou de ideia e desligou o aparelho. Ele squeria ouvir a voz dela, faz-la rir, imaginar seu rosto enquanto ela falava. Masela poderia estar ocupada, ou acha-lo ridculo por telefonar por impulso, semter nada para falar. E se Milly ainda no tivesse chegado em casa, ele acabariatendo que falar com a Sra. Havill.

    A Sra. Havill era a nica coisa em Milly que Simon mudaria, se pudesse.Olivia era uma mulher bastante agradvel, ainda atraente, encantadora edivertida; ele entendia por que ela era uma figura popular em eventos sociais.Mas o modo como tratava a filha o irritava profundamente. Ela agia como seMilly ainda fosse uma garotinha de 6 anos, ajudando-a a escolher roupas,dizendo-lhe para usar um cachecol, querendo saber exatamente o que ela fazcada minuto do dia. E o piorde tudo, na opinio de Simon, era que Milly noparecia se incomodar com isso. Ela deixava a me acariciar seus cabelos e dizer"Boa menina" e telefonava obedientemente quando achava que chegaria tardeem casa. Ao contrrio da irm mais velha, Isobel, que h muito tempo comprarao prprio apartamento e sara de casa, Milly parecia no querer se tornarindependente.

    Consequentemente, sua me continuava a trat-la como criana. Almdela, o pai e a irm agiam praticamente da mesma maneira. Eles riam quandoMilly expressava opinies acerca de temas atuais, menosprezavam sua carreirae discutiam questes importantes sem consult-la. Recusavam-se a ver a mulherinteligente e entusiasmada que ele via; nunca a levavam a srio e negavam-se aelev-la ao status de adulta.

    Simon tentara falar com Milly sobre a famlia dela, tentara faz-la vercomo eles a subestimavam e a limitavam. Mas ela simplesmente se mostraraindiferente e dissera que eles no eram to cruis. E quando ele reforou acritica, ela se aborreceu. " bondosa e afetuosa demais para ver qualquer falta

    neles", pensou Simon, saindo da estrada principal de Bath em direo aPinnacle Hall. E ele a ama por isso. Mas as coisas tero que mudar quando elesse casarem, quando tiverem sua prpria casa. Aps se tornar uma mulhercasada e, talvez um dia, me, o foco de Milly ser outro, e sua famlia ter querespeitar isso e aceitar o fato de que ela no e mais a menininha deles.

    Ao se aproximar de Pinnacle Hall, ele digitou o cdigo de segurana nocontrole do porto e esperou, impacientemente, que ele se abrisse - os pesados

    P

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    26/259

    portes de ferro com o nome "Pinnacle" forjado na parte frontal. Havia luzesacesas em todas as janelas; os carros estavam estacionados em suas vagas e a alados escritrios ainda se encontrava em atividade. O Mercedes vermelho de seupai estava bem diante da casa, um carro enorme, reluzente e arrogante. Simon oodiava.

    Ele estacionou seu Golf em uma vaga reservada e caminhou sobrecascalho coberto de neve em direo a casa; uma manso do sculo XVIII quefuncionara como um luxuoso hotel nos anos de 1980 e que dispunha de umcomplexo de lazer e uma bela ala de quartos anexos. Harry Pinnacle a comprouquando os proprietrios foram falncia e a transformou novamente em umaresidncia, instalando a sede de sua empresa na ala anexa. Ele costumava dizerpara os reprteres que era bom ficar fora de Londres, afinal, estava se tornandoum velho. Fazia-se um momento de silencio, ento todos riam. Em seguida,Harry sorria e tocava o sino para que fosse servido mais caf.

    A sala revestida de lambris estava vazia e cheirava cera. Do escritrioparticular de Harry, onde se percebia a luz acesa, Simon ouviu a voz do pai,abafada pela porta, seguida de uma risada. O ressentimento, sempre latente,comeou a formigar em sua pele, e ele cerrou os punhos dentro dos bolsos.

    Simon sempre odiou o pai. Harry Pinnacle abandonara a esposa quandoo filho tinha 3 anos. Sua me jamais esclarecera os motivos da separao, masSimon sabia que a culpa era do pai, to dominador, arrogante e antiptico; todeterminado, criativo e incrivelmente bem-sucedido - esta ltima caractersticaera a que Simon mais odiava.

    A histria era conhecida por todos. No mesmo ano em que o filhocompletou 7 anos, Harry Pinnacle abriu uma pequena loja de sucos, chamadaFruit'n Smooth. A loja, com seus balces cromados, transformou-se em umsucesso imediato. No ano seguinte, ele abriu uma filial. Um ano depois, umaterceira loja. Trs anos aps abrir o estabelecimento, passou a vender franquiase, em meados dos anos 1980, havia lojas Fruit'n Smooth em todas as cidades, eHarry Pinnacle estava multimilionrio.

    medida que seu pai prosperava e emergia das pginas internas doscadernos de economia para as manchetes dos jornais, o jovem Simonacompanhava seu progresso com rancor. Os cheques chegavam todo ms, e sua

    me sempre exaltava a generosidade de Harry. Mas ele nunca aparecia, e Simono odiava por isso. Quando o rapaz estava com 19 anos, a me morreu e HarryPinnacle voltou a entrar em sua vida.

    A expresso no rosto de Simon se tornou obscura, e ele sentiu as prpriasunhas cravarem as palmas das mos ao se lembrar do momento em que viu opai pela primeira vez depois da separao, h dez anos. Andava pelo corredordo hospital em que sua me estava internada, desesperado de tristeza, raiva e

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    27/259

    cansao. De repente, ouviu uma voz chamar seu nome e, ao levantar os olhos,viu um rosto que lhe era familiar de inmeras fotografias de jornal. Familiar, eainda assim estranho. Ao fitar o pai em silncio, tornado pelo choque, percebeusuas prprias caractersticas no rosto do homem. E mesmo sem querer, sentiu asemoes emergirem; sensaes instintivas, como as de um beb. Teria sido tofcil abraar o pai, permitir-se compartilhar o sofrimento que sentia, aceitar essatentativa de dilogo e fazer dele um amigo. Mas, ao perceber que comeava aceder, Simon abafou seus sentimentos. Harry Pinnacle no merecia seu amor, e jamais o teria.

    Depois do enterro, Harry acolheu Simon em sua casa. Deu-lhe um quartoe um carro e o levou em viagens luxuosas. Simon aceitou tudo educadamente.Mas se Harry pensava que compraria o afeto do filho enchendo-o de presentescaros, estava enganado. Embora o dio adolescente do rapaz tivesse abrandado,ele fora substitudo por uma determinao inabalvel de superar o pai em todosos sentidos: administraria um negcio bem-sucedido e ganharia dinheiro.Porm, diferentemente do pai, ele teria um casamento feliz, criaria os filhospara am-lo, tornaria-se o chefe de uma famlia feliz e estvel. Teria a vida queHarry nunca tivera, e o pai o invejaria e o odiaria por isso.

    Assim, ele deu incio ao seu projeto, abrindo a prpria editora. Comeoucom trs boletins informativos, lucros razoveis e grandes perspectivas, quenunca se concretizaram. Aps trs anos de luta, seus lucros se reduziram a zeroe, no fim do quarto ano, ele declarou falncia.

    A humilhao ainda consumia Simon quando ele se lembrava do dia emque foi obrigado a admitir ao pai que havia falido, o dia em que teve que aceitar

    a oferta de Harry, vender o apartamento e voltar para Pinnacle Hall. Seu pai lheservira uma dose de usque, proferia alguns clichs sobre derrota e vitorias eoferecera um emprego nas Empresas Pinnacle, que Simon recusaraimediatamente com algumas palavras de agradecimento. Mal conseguia olhar opai; mal conseguia olhar para quem quer que fosse. Sentindo-se no fundo dopoo, desprezava a si mesmo quase quanto tanto quanto desprezava o pai.Todo o seu ser estava atormentado pela frustrao e pela vergonha.

    Por fim, acabou arranjando um emprego como vendedor de anncio emuma revista de negcio pouco conhecida.

    Estremecera quando Harry lhe dera os parabns; estremecera ao ver opai folheando rapidamente a modesta publicao, tentando encontrar palavrasde elogio, No nada assim to maravilhoso, dissera de maneira defensiva.Mas pelo menos estou trabalhando. Pelo menos ele estava trabalhando; pelomenos os dias seriam preenchidos; pelos menos poderia comear a pagas suasdvidas.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    28/259

    Trs meses aps comear a revista, ele conheceu Milly. Um ano depois,pediu-a em casamento. Seu pai, maus uma vez, o parabenizara; ofereceu-separa ajudar a comprar o anel de noivado. Mas Simon recusara a oferta. Prefirofazer as coisas ao meu modo, dissera, olhando o pai bem dentro dos olhos,imbuindo de uma nova confiana, quase uma ar de desafio. Se no conseguiaderrotar o pai nos negcios, ento o derrotaria na vida familiar. Ele e Millyteriam um casamento perfeito: amariam-se, ajudariam-se, entederiam-se. Osproblemas seriam discutidos, as decises seriam tomadas em conjunto, o afetoseria expresso livremente. Os filhos trariam ainda mais felicidade. Nada dariaerrado. Simon experimentara o fracasso uma vez; no queria experiment-lonovamente.

    De repente, seus pensamentos foram interrompidos por outra risadavinda de dentro do escritrio, uma conversa murmurada e, em seguida, o toqueagudo que significava que Harry havia recolocado no gancho o antiquadoaparelho de telefone que usava em sua linha particular. Simon esperou algunsminutos, respirou profundamente, aproximou-se da porta e bateu.

    AO OUVIR A BATIDA na porta, Harry Pinnacle levou um susto. Rapidamente,guardou na gaveta a pequena fotografia que tinha nas mos. Ento, para segarantir, trancou a gaveta. Por um momento, permaneceu imvel, fitando achave, perdido em pensamento.

    Tornaram a bater na porta, ele levantou a cabea. Afastou a cadeira daescrivaninha e passou as mos pelos cabelos grisalhos.

    Sim? Disse e viu a porta ser aberta.

    Simon entrou, deu alguns passos e lanou um olhar furioso para o pai.Era sempre assim. Ele batia porta do escritrio e era obrigado a ficaresperando do lado de fora, como um empregado. Harry nunca lhe dissera queno precisava bater; ele nunca sequer pareceu contente ao ver o filho. Dava aimpresso de estar sempre impaciente, como se Simon estivesse interrompendoalgum negcio importante. Mas isso besteira, pensou Simon. Voc no estano meio de nenhum negcio importante. Voc apenas um cretino arrogante.

    Seu corao estava disparado; ele estava pronto para um confronto. Masno podia permitir falar nenhuma das palavras ofensivas que rodeavam suamente.

    Oi Disse com a voz tensa. Depois, agarrou o encosto de uma cadeirade couro e fulminou o pai com os olhos, esperando, de alguma forma, provocaruma reao. Mas Harry limitou-se a olhar para ele e, aps um momento,suspirou e pousou a caneta na mesa.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    29/259

    Oi, como foi seu dia?

    Simon fez um gesto de indiferena, e desviou o olhar.

    Quer um usque?

    No obrigado.

    Bem eu quero.

    Ao se levantar para servir da bebida, Harry viu o rosto do filho nummomento de descuido. Estava tenso, triste e zangado. O rapaz estava tomadopela raiva, mesma desde que Harry o vira pela primeira vez, do lado de forado quarto de hospital em que sua me estava internada. Naquele dia, ele cuspiunos ps do pai e se afastou, antes que Harry pudesse dizer qualquer coisa. Apartir de ento, uma culpa horrvel comeou a crescer em Harry, uma culpa queo apunhalava toda vez que o rapaz o fitava com os mesmos olhos desolados dame.

    Como foi seu dia? perguntou ele, levantado o copo boca.

    Voc j perguntou isso.

    Certo. verdade. Harry provou a bebida forte e imediatamentesentiu-se melhor. Tomou outro gole em seguida.

    Eu vim aqui comeou Simon para lembrar a voc o jantar destanoite. Os Havill estaro presentes.

    Eu me lembrei disse Harry, pousando o copo. Falta pouco para ogrande dia. Est nervoso?

    De jeito nenhum respondeu Simon imediatamente.

    Harry deu de ombros.

    um compromisso importante.

    Simon fitou o pai. Sentia uma poro de palavras se formarem em suacabea, palavras retidas, que vinha carregando por anos como um pesoconstante.

    Bem ele se viu dizendo , voc no entende muito de compromisso,no ?

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    30/259

    Um lampejo de raiva atravessou o rosto de Harry, e Simon estremeceu.Esperava que seu pai gritasse, incitando-o a uma reao ainda mais revoltada.Mas to repentinamente quanto tinha aparecido, a ira desapareceu e ele seafastou em direo s enormes janelas, deixando Simon frustrado.

    O que h de errado com compromisso? gritou ele O que h deerrado em amar uma pessoa por toda a vida?

    Nada respondeu Harry sem se virar.

    Ento, por que... Simon parou. Houve um longo silncio, acentuadoapenas pelos estalidos do fogo da lareira. O jovem fitou o pai, que permaneceude costa. Diga algo, pensou ele, desesperado. Diga alguma coisa, seucretino.

    Vejo voc as oito disse Harry finalmente.

    Perfeito retrucou Simon com a voz marcada pela mgoa. Nos vemosento. E, num mpeto, saiu do escritrio.

    Harry fitou o copo em sua mo e praguejou. No tinha a inteno deaborrecer o rapaz. Ou talvez tivesse. Ela no podia confiar nos prpriosmotivos, no podia controlar seus sentimentos. A compaixo rapidamente setransformava em irritao; a culpa rapidamente se transformava em raiva. Asboas intenes em relao ao filho desapareciam no instante em que o rapazabria a boca. Uma parte dele ansiava pelo momento e que Simon se casaria edeixaria sua casa, assumindo sua prpria famlia e lhe dando finalmente um

    pouco de paz. Outra parte temia isso; no queria nem pensar a respeito.Com a expresso sombria, Harry serviu de outra dose de usque e voltou

    para a mesa. Logo depois, pegou o telefone, discou um nmero e escutou,impaciente, o sinal de chamada. Ento, com a expresso mal-humorada, bateu otelefone no gancho.

    MILLY ESTAVA MESA da cozinha com o corao disparado, louca parafugir. Era ele. Era o rapaz que ela vira em Oxford depois do casamento com

    Allan, aquele que apanhara seu vu. Ele estava mais velho, com o rosto maissrio, e tinha uma barba rala. Mas os culos metlicos redondos eram osmesmos, assim como a expresso arrogante, quase debochada. Naquelemomento, ele se inclinava para trs na cadeira, fitando-o com ar curioso. Nose lembre, pensou Milly, sem se atrever a encontrar o olhar fixo do rapaz.Pelo amor de Deus, no se lembre de mim.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    31/259

    Aqui est voc disse Olivia, aproximando-se da mesa. Cuidei dassuas flores, querida. No basta simplesmente coloc-las na gua e esquecer-sedelas!

    Eu sei murmurou Milly. Obrigada.

    Quer mais ch, Alexander?

    Sim respondeu o rapaz, entregando-lhe a xcara. Muito obrigada. Olivia o serviu, depois sentou-se e sorriu.

    Isso maravilhoso disse ela como se o casamento j estivesserealmente acontecendo! Ela tomou um gole do ch. Milly, voc mostrou seuanel a Alexander?

    Lentamente, com um movimento tenso, Milly ergueu a mo direita. Oolhar observador do rapaz percorreu, de forma enigmtica, o clssicoaglomerado de diamantes. Ento ele olhou para ela.

    Muito bonito disse, antes de tomar o ch. Voc vai se casar com ofilho de Harry Pinnacle, o herdeiro da rede Fruintn Smooth, no ?

    Exatamente respondeu Milly com relutncia.

    Um timo partido insinuou Alexander.

    Ele um rapaz maravilhoso retorquiu Olivia imediatamente, como

    sempre fazia quando algum mencionava a fortuna ou a famlia de Simon. Avoz de Alexander expressava um tom levemente irnico. Trabalha para o pai?

    No respondeu Milly com a voz estranha e desconcertada. Eletrabalha com publicidade.

    Ah, sim assentiu Alexander. Houve um momento de silncio. Elebebeu outro gole do ch e olhou para Milly, franzindo o cenho. Ainda achoque conheo voc de algum lugar.

    mesmo? indagou Olivia que engraado!

    Bem, eu no me lembro de t-lo visto antes. Milly tentava parecerdespreocupada.

    , querida Olivia disse , mais voc no muito boa para guardarfeies, no ? Ela se virou para Alexander.

    Eu sou exatamente como voc, Alexander. Nunca esqueo um rosto

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    32/259

    Eu trabalho com rostos. lembrou. Passo a vida prestando ateno s

    feies. Seus olhos percorreram o rosto de Milly e ela estremeceu. Seu cabelosempre foi assim: perguntou subitamente. O corao de Milly pulou de medo.

    No respondeu ela, agarrando a xcara com fora. Eu... Uma vez, euo tingi de vermelho.

    No ficou muito bom observou Olivia enfaticamente. Eu sugeri queela fosse ao salo que eu costumo ir, mas ele nem ligou. Ento, como era de seesperar...

    No isso replicou Alexander, cortando Olivia. Ele se voltounovamente para Milly e franziu a testa. Voc morou em Cambridge?

    No respondeu Milly.

    Mas Isobel morou disse Olivia triunfante. Voc deve estar sereferindo a ela!

    Quem Isobel? perguntou Alexander.

    Minha irm respondeu Milly, animada por uma sbita esperana. Ela... ela se parece comigo.

    Ela estudou lnguas modernas completou Olivia

    E agora est se dandomuito bem.Viaja pelo mundo inteiro comointrprete de conferncias. Conhece todos os lderes mundiais. Ou pelo menos...

    Como ela ? indagou Alexander.

    Ali est uma foto dela. Olivia apontou para uma fotografia acima dalareira. Vocs deviam se conhecer antes do casamento acrescentouligeiramente, vendo que Alexander examinava a foto atenciosamente. Tenhocerteza que vocs tm muitas coisas em comum!

    No era ela afirmou Alexander, virando-se para Milly. Ela no se

    parece nada com voc. Ela mais alta do que Milly observou Olivia antes de acrescentar,

    pensativa:

    Voc bem mais alto, no , Alexander?

    Ele se levantou.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    33/259

    Eu preciso ir. Tenho um encontro no centro da cidade.

    Um encontro repetiu Olivia. Que bom, algum especial?

    Um velho amigo dos tempos de escola explicou Alexander, olhandopara Olivia como se ela fosse louca.

    Bem, divirta-se!

    Obrigada. Alexander fez uma pausa no vo da porta.

    Verei voc amanh. Milly. Vou tirar algumas fotos informais epoderemos conversar sobre o que voc quer. Ele acenou e foi embora.

    Nossa! exclamou Olivia assim que ele saiu. Que jovem interessante.

    Milly permaneceu imvel. Fitava a mesa, segurando a xcara com fora, ocorao disparado.

    Voc est bem querida perguntou a me, olhando para ela.

    Estou. Est tudo bem. Ela se forou a sorrir e a tomar um gole do ch.Estava tudo bem, disse a si mesma.

    Nada tinha acontecido. Nada iria acontecer.

    Eu dei uma olhada no portflio dele. Ele realmente muito talentoso.Ganhou prmios e tudo mais!

    mesmo. O tom de Milly era aptico. Ela apanhou um biscoito,olhou-o e colocou-o de volta no lugar, tomada por um medo sbito. Mas, e seele lembrasse e contasse a algum exatamente o que a vira fazer a dez anos? Ese tudo viesse tona? Seu estmago revirou s de pensar no assunto; estavaapavorada.

    Ele e Isobel realmente deviam se conhecer dizia Olivia. Assim queela voltar de Paris.

    O qu? As palavras da me chamaram a ateno de Milly. Por qu? Ela fitou Olivia, que deu de ombros. Me, no! Voc no est falando srio?

    apenas uma ideia redarguiu ela, defensivamente.

    Que possibilidade a pobre Isobel tem de conhecer um homem,escondida em salas de conferncia enfadonhas o dia todo?

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    34/259

    Ela no que conhecer ningum. Principalmente quem voc quer que ela

    conhea! Milly estremeceu. Principalmente ele!

    O que h de errado com ele?

    Nada respondeu Milly rapidamente. que ele... no combina comIsobel.

    A imagem da irm veio mente de Milly, e o que ela viu foi uma mulherinteligente e sensata. De repente, sentiu uma onda de alvio: falaria com Isobel.Ela sempre sabia o que fazer. Milly olhou o relgio.

    Que horas so agora em Paris?

    Por qu? Voc vai telefonar?

    Sim Respondeu Milly. Quero falar com Isobel. De repente, ela sesentiu desesperada. preciso fala com Isobel.

    ISOBEL HAVILL VOLTOU ao quarto do hotel s oito horas da noite e viu que aluz de mensagens de seu telefone piscava insistentemente. Ela coou a testa eabriu o minibar. O dia tinha sido mais cansativo do que o habitual. Sua peleestava ressecada devido ao ar-condicionado da sala de conferncias; sua bocatinha gosto de cigarro e caf. Passara o dia todo escutando, traduzindo efalando ao microfone, nos tons baixos e comedidos que a tornavam uma

    profissional altamente requisitada. Agora sua garganta doa, e Isobel estavaimpossibilitada de falar qualquer coisa. Sua cabea parecia estar em umturbilho, em consequncia do debate enrgico e multilngue.

    Com um copo de vodca na mo, ela entrou lentamente no banheiro demrmore branco, acendeu a luz e, por alguns segundos, observou seus olhosavermelhados. Chegou a abrir a boca par dizer algo, mas desistiu. Sentia-seincapaz de pensar, de formular uma nica ideia a respeito de si mesma. Porvrias horas, seu crebro agira apenas como um potente canal de informaes.Ainda estava focando exclusivamente na traduo das palavras, impedindoassim que seus pensamentos interrompessem o fluxo de ideias e polussem a

    traduo com suas prprias opinies. Trabalhara de maneira impecvel o diatodo, sem fraquejar, sem perder a calma. Agora sentia-se como uma conchavazia e seca.

    Ela bebeu toda a vodca e, quando pousou o copo na prateleira de vidro,o tinido a fez estremecer. No espelho, seu reflexo mostrava uma expressoapreensiva. Durante todo o dia, ela conseguira afastar este momento. Mas agoraestava sozinha, seu trabalho havia terminado e ela no tinha mais desculpas.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    35/259

    Com as mos trmulas, abriu a bolsa e tirou um pacotinho de farmcia, de ondepuxou uma pequena caixa oblonga. Em seu interior. Havia uma folha cominstrues impressas em francs, alemo, espanhol e ingls. Passou os olhosimpacientemente por todas as verses, notando que o pargrafo em espanholhavia sido mal traduzido e havia uma discrepncia na verso alem. Mas todospareciam concordar em um detalhe: o curto espao de tempo at obter oresultado. S um minuto,Une munute, Um munut.

    Sem acreditar no que estava acontecendo, ela fez o teste, deixou opequeno frasco na borda da banheira e voltou para o quarto. Sua jaqueta aindaestava jogada na enorme cama; o telefone continuava piscando. Ela apertou oboto de mensagem, foi ao minibar e serviu-se de outra vodca. Faltam trintasegundos.

    Oi, Isobel. Sou eu. A Vos grave de um homem encheu o quarto, eIsobel estremeceu. Ligue para mim quando puder. Tchau.

    Isobel olhou o relgio. Quinze segundos.

    Isobel. Milly. Escute, estou precisando muito falar com voc. Porfavor, por favor, pode ligar assim que ouvir este recado? muito, muitourgente.

    E quando no ? perguntou Isobel em voz alta.

    Ela olhou o relgio novamente, respirou fundo e voltou ao banheiro. Apequena faixa azul era visvel antes mesmo de se chagar porta. Ela quase

    desmaiou. No sussurrou. No pode ser. Ela se afastou do frasco como se

    estivesse fugindo de algo contaminado, e fechou a porta do banheiro. Com asmos trmulas, estendeu o brao para pegar a vodca. Mas, num mpeto, parouantes de tocar o copo. Um desnimo solitrio apoderou-se dela.

    Isobel? gritou a voz no aparelho. Milly novamente. Estarei nacasa do Simon esta noite, pode telefonar para l?

    No Vociferou Isobel com uma sbita vontade de chorar. Eu no

    posso, est bem? Ela apanhou o copo, bebeu tudo de uma vez e o espatifou namesa de cabeceira. Porm, mais lgrimas encheram seus olhos e ela j noconseguia controlar a respirao. Como um animal ferido, rastejou at a cama eenterrou a cabea no travesseiro. Quando o telefone tocou novamente, comeoua chorar baixinho.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    36/259

    CAPTULO TRS

    s oito e meia, Olivia e Milly chegaram a Pinnacle Hall. Elas foramrecebidas por Simon, que as conduziu at a imensa e pomposa sala deestar.

    Nossa! exclamou Olivia, indo em direo lareira.

    Que maravilha!

    Vou pegar um champanhe disse Simon. Papai ainda est ao telefone.

    Vou tentar falar com Isobel novamente disse Milly em tom hesitante. Vou usar o telefone da sala de jogos.

    Isso no pode esperar? perguntou Olivia. O que voc tanto querfalar com ela?

    Nada respondeu Milly imediatamente. Nada. Eu s... preciso falarcom ela. - Ela engoliu em seco. No vou demorar.

    Quando os dois saram, Olivia acomodou-se em uma cadeira, admirandoo retrato acima da lareira. Era uma pintura a leo, ricamente emoldurada, queparecia ter sido comprada junto com a casa; na realidade, era uma foto da avde Harry ainda menina. Harry Pinnacle era to conhecido por ter vencido navida por conta prpria que muitos acreditavam que ele havia enriquecido do

    nada. O fato de ele ter frequentado uma escola particular cara s estragava alenda, assim como os vultosos emprstimos dos pais, que o ajudaram a comearos negcios. Esses detalhes eram geralmente ignorados por todos, inclusivepelo prprio Harry.

    A porta se abriu, e uma garota loura e bonita, usando um blazer elegante,entrou na sala, trazendo uma bandeja com algumas taas de champanhe.

    Simon no vai demorar. Ele acabou de lembrar que precisava enviarum fax justificou ela.

    Obrigada disse Olivia, pegando uma taa com um sorriso discreto eelegante.

    A moa saiu e Olivia bebeu um gole do champanhe. O fogo da lareiraaquecia seu rosto, sua cadeira estava confortvel, a msica clssica tocavaagradavelmente em caixas de som ocultas. "Isso que vida", pensou. Aomesmo tempo, sentiu uma pontada de angstia metade satisfao e metadeinveja ao se dar conta de que, em breve, sua filha estaria fazendo parte deste

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    37/259

    mundo. Em Pinnacle Hall, Milly j se sentia em casa, como se estivesse naBertram Street, nmero 1. Acostumou-se facilmente a lidar com os empregadosde Harry, estava habituada a sentar-se ao lado de Simon em jantares elegantes.Naturalmente, ela e o noivo podiam afirmar que eram como qualquer outro jovem casal, que o dinheiro no era deles, mas a quem eles tentavam enganar?Seriam ricos um dia. Extremamente ricos. Milly poderia ter tudo o que quisesse.

    Olivia segurou a taa com mais fora. Quando o noivado fora anunciado,ela ficara atnita. Ter qualquer espcie de ligao com o filho de Harry Pinnacle j era bom. Mas casar, e to rapidamente, era uma bno. medida que osplanos de casamento avanavam e se tornavam mais concretos, ela sentia cadavez mais orgulho de si mesma por disfarar sua satisfao, por tratar Simonnaturalmente, como qualquer outro jovem galanteador, por minimizar, para simesma e para quer outra pessoa, a importncia daquele casamento.

    Mas agora, poucos dias antes da cerimnia, seu corao voltara a bateracelerado de felicidade. Dentro de apenas alguns dias, o mundo inteiro veriasua filha casar com um dos solteiros mais cobiados do pas. Todas as suasamigas bem na verdade, todos os seus conhecidos teriam que reverenci-laenquanto ela estaria em posio de destaque, reinando no casamento maisgrandioso, mais elegante e mais romntico que j tinham visto. Era como seOlivia tivesse passado a vida inteira planejando esse acontecimento; um eventoque superava at seu prprio casamento, que tinha sido uma cerimnia simples.Mas essa ocasio seria repleta de pessoas importantes, influentes e ricas; todasforadas a ficar em segundo plano, enquanto ela e naturalmente Milly seriam ocentro das atenes.

    Dentro de alguns dias, ela estaria usando a roupa feita por um estilistaimportante, sorrindo para as inmeras cmeras e obsevando suas amigas econhecidos, alm dos parentes invejosos, boquiabertos com o luxo da festa.Seria um dia maravilhoso, um dia que ficaria gravado na memria de todos,para sempre. Como um filme lindo, pensou Olivia feliz. Um lindo eromntico de Hollywood.

    JAMES HAVIL CHEGOU Pinnacle Hall e puxou o pesado cordo dacampainha de ferro forjado. Enquanto esperava ser atendido, olhou ao redor e

    franziu a testa. O lugar era bonito demais, perfeito demais. Era um clich daopulncia, mais parecia com um macabro filme hollywoodiano do que comuma residncia de verdade. Se isso que o dinheiro pode comprar, pensouele, enganando a si mesmo, ento pode guard-lo. Eu prefiro a vida real.

    Ele percebeu a que a porta da frente se encontrava entreaberta, e entrou.O fogo crepitava na enorme lareira, e os lustres estavam todos acesos, mas nohavia ningum por perto. Ele olhou cuidadosamente ao redor, tentando

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    38/259

    distinguir as portas com lambris. Uma daquelas portas dava para a enorme salade estar, a que tinha cabeas de cervos, conforme se lembrava de visitasanteriores. Mas qual delas? Por alguns segundos ficou indeciso e ento, irritadoconsigo mesmo, seguiu em direo porta mais prxima e a escancarou.

    Mas no era a porta certa. A primeira coisa que viu foi Harry. Ele estavasentado diante de uma enorme mesa de madeira, atento ao telefone. Ao ouvir aporta se abrir, ele ergueu a cabea grisalha, semicerrou os olhos e,demonstrando irritao, fez um sinal para que James sasse.

    Desculpe murmurou James baixinho, recuando.

    Sr. Havill? murmurou algum atrs dele. Desculpe no ter atendidoa porta imediatamente. James se virou e viu uma moa loura que elereconheceu como uma das assistentes de Harry. Poderia me acompanhar, porfavor... disse ela com delicadeza, conduzindo-o para fora do escritrio.

    Obrigado disse James mais aliviado.

    Os outros esto na sala de estar. Pode me dar seu casaco.

    Obrigado disse James novamente.

    Se o Senhor precisar de mais alguma coisa prosseguiu a moadelicadamente , s falar. Est bem? Em outras palavras. Pensou Jamesressentido, no fique perambulando por a. A moa deu-lhe um sorriso gentil,abriu a porta da sala de estar e fez um gesto para ele entrar.

    O AGRADVEL MUNDO DE sonhos de Olivia foi interrompido quando aporta se abriu de modo repentino. Imediatamente, ela ajeitou a saia e sorriu,achando que se tratava de Harry. Mas era a moa loura novamente.

    Seu marido est aqui. Sra. Havill disse ela, abrindo passagem para James.

    Ele entrou na sala. Como tinha vindo diretamente do escritrio. Seu

    terno cinza-escuro estava amassado e ele parecia cansado. Faz muito tempo que voc chegou? perguntou ele.

    No respondeu Olivia com uma alegria forada. No muito.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    39/259

    Ela se levantou e foi em direo ao James com a inteno decumpriment-lo com um beijo. Pouco antes de Olivia alcan-lo, a moa seretirou discretamente e fechou a porta.

    Olivia parou de repente, sentindo-se constrangida. Nos ltimos anos, ocontato fsico entre os dois s acontecia na frente de outras pessoas. Agora,sentia-se desajeitada por estar to perto dele sem ter ningum sua volta, semuma razo. Ela olhou para o marido, esperando um incentivo, mas o olhar deleera inexpressivo; ela no conseguiu detectar nenhum sentimento. Por fim, ela seinclinou para a frente, um tanto ruborizada, e deu-lhe um beijo no rosto.Recuou imediatamente e bebeu um gole do champanhe.

    Onde est Milly? perguntou James com indiferena

    Foi dar um telefonema.

    Olivia observou James se servir de uma taa de champanhe e beber umgole. Em seguida, ele foi ate o sof e se sentou, esticando as pernasconfortavelmente. Seu olhar dirigiu-se cabea do marido. Seu cabelo escuroestava mido da neve, mas bem - penteado, e ela se viu analisandodistraidamente a diviso lateral do cabelo dele. Quando ele virou cabea, elarapidamente desviou o olhar.

    Ento disse ela, tentando iniciar uma conversa. Mas logo desistiu ebebeu um gole do champanhe. Foi at a janela, abriu a pesada cortina debrocado e admirou a neve. Ela mal conseguia se lembrar da ltima vez queficara sozinha em um cmodo com James, nem da ltima vez que conversaram

    com naturalidade. Alguns assuntos passaram por sua cabea como se fossemcomida na esteira rolante do caixa do supermercado, mas todos eram inspidose difceis de usar para iniciar uma conversa. Se falasse sobre a ltima fofoca deBath, teria que comear lembrando quem eram os personagens principais. Sefalasse a respeito do problema com o sapato que iria usar na cerimnia, teriaque explicar primeiro a diferena entre cetimduchessee chijfonde seda. Nada doque ela pensava em dizer parecia compensar o esforo de dar o primeiro passo.

    Antigamente, a conversa entre os dois flua como as guas de um rio. James ouvia as histrias da mulher com prazer; ela ria de seu humor irnico.Eles se curtiam, divertiam-se juntos. Mas ultimamente todas as piadas do

    marido pareciam ter traos de uma amargura que ela no entendia, e umdesinteresse tenso surgia no rosto dele sempre que ela comeava a falar.

    Portanto, permaneceram em silncio at que, finalmente , a porta se abriu.Milly entrou e lanou um breve sorriso forado a James.

    Ol, papai. Voc veio.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    40/259

    Conseguiu falar com Isobel? perguntou Olivia.

    No respondeu Milly rapidamente. No sei o que ela est fazendo.Tive que deixar outra mensagem. Ela olhou para a bandeja. Ah. Uma bebidaviria a calhar.

    Ela pegou uma taa de champanhe e a ergueu.

    Sade.

    Sade! repetiu Olivia.

    A sua sade, querida disse James. Todos beberam e houve um brevemomento de silncio.

    Eu interrompi alguma coisa? indagou Milly.

    No disse a me. Voc no interrompeu nada.

    Que bom assentiu Milly displicentemente, indo at a lareira etorcendo para que ningum falasse com ela.

    PELA TERCEIRA VEZ, A ligao cair na caixa postal. Toda vez que ouvia ostoques, sentia uma exploso de raiva, uma certeza irracional de que Isobelestava ouvindo e simplesmente no atendia o telefone. Tinha deixado uma

    breve mensagem, e ficou fitando o aparelho durante alguns minutos, mordendoo lbio, aguardando desesperadamente que a irm ligasse de volta. Isobel era anica pessoa com quem ela poderia falar, a nica que a ouviria calmamente,que pensaria em uma soluo em vez de dar um sermo.

    Mas o telefone permanecera silencioso. Isobel no ligara de volta. Millysegurou a taa de champanhe com mais fora. No conseguia suportar essepnico oculto e persistente. Quando estava a caminho de Pinnacle Hall,permanecera em silncio no carro, conjurando pensamentos tranquilizadores.''Alexander nunca se lembraria", disse a si mesma repetidas vezes. Tinha sidoum encontro de dois minutos, h dez anos. Ele no poderia se lembrar. E

    mesmo se lembrasse, ele no diria nada a respeito. Ficaria quieto e faria seutrabalho. Pessoas civilizadas no causam problemas deliberadamente.

    Milly? A voz de Simon interrompeu seus pensamentos e ela teve umsobressalto tpico de quem est com a conscincia pesada.

    Oi respondeu. Conseguiu enviar o fax?

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    41/259

    Sim. Ele bebeu um gole de champanhe e olhou para ela maisatentamente. Voc est bem? Est parecendo tensa.

    Eu? Ela sorriu. No, est tudo bem.

    Voc est tensa insistiu Simon, e comeou a massagear seus ombrossuavemente. Preocupada com o casamento. Estou certo?

    Sim - assentiu Milly.

    Eu sabia.

    Simon pareceu satisfeito, e Milly no disse nada. Ele gostava de pensarque tinha essa sintonia com as emoes dela, que sabia do que a noiva gostava eno gostava, que era capaz de detectar seu mau humor. E ela adotara o costumede concordar com ele, mesmo quando suas afirmaes eram completamenteequivocadas. Afinal, era muito carinhoso da parte dele fazer uma tentativa. Amaioria dos homens nem se daria ao trabalho.

    Alm disso, esperar que ele acertasse sempre seria injusto. Na maioriadas vezes nem ela sabia ao certo como se sentia. As emoes geravam matizesem sua mente como cores em uma paleta algumas duradouras, outrasmomentneas, mas todas se misturavam em um embate indivisvel enquanto ohumor de Simon parecia manifestar-se de maneira clara e uniforme, como umafileira de blocos de construo de brinquedo. Quando estava feliz, ele sorria.Quando estava zangado, fechava a cara.

    Deixe-me adivinhar o que voc est pensando murmurou Simon noouvido dela. - Voc est lamentando o fato de no estarmos sozinhos esta noite.

    No disse Milly com franqueza. Ela se virou e olhou diretamente paraele, inspirando o seu familiar perfume almiscarado.

    Eu estava pensando no quanto eu te amo.

    ERAM NOVE E MEIA da noite quando Harry Pinnacle entrou na sala com

    passos largos. Mil desculpas disse. Eu sei que isso imperdovel.

    Harry, completamente perdovel! exclamou Olivia, que, a essaaltura, estava na quinta taa de champanhe. Ns entendemos!

    Eu no murmurou Simon.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    42/259

    E desculpe no ter falado com voc mais cedo, no escritrio disse

    Harry dirigindo-se a James. Era um telefonema importante.

    No se preocupe aquiesceu James de maneira formal.

    Houve uma breve pausa.

    Bem, no vamos perder mais tempo. Harry virou-se para Olivia e,com uma mesura, anunciou: Primeiro as damas.

    Eles atravessaram o corredor lentamente ate a sala de jantar.

    Voc est bem, filha? perguntou James a Milly ao se sentarem dianteda magnfica mesa de mogno.

    tima. Ela deu-lhe um sorriso tenso.

    Mas Milly no estava bem, pensou James. Ele a vira entornandochampanhe como se estivesse desesperada, estremecendo toda vez que otelefone tocava. Ser que ela estava indecisa sobre o casamento? Ele se inclinouna direo dela.

    Lembre-se, filha disse baixinho. Voc no tem que levar ocasamento adiante se no quiser.

    O qu? Milly deu um pulo, como se tivesse sido picada por um

    inseto, e James acenou com a cabea de maneira tranquilizadora. Caso voc mude de ideia em relao a Simon, agora ou at no dia do

    casamento, no se preocupe. Podemos cancelar tudo. Ningum vai seincomodar.

    No quero cancelar nada! sibilou Milly. De repente, ela percebeu queestava prestes a chorar. Eu quero me casar com Simon! Eu o amo.

    timo - disse James. - Ento, tudo bem.

    Ele se acomodou na cadeira, passou os olhos ao redor da mesa, olhoupara Simon e se viu inexplicavelmente irritado. O rapaz tinha excelentesqualidades: boa aparncia, famlia rica e personalidade equilibrada. Enitidamente adorava Milly. Era gentil com Olivia e atencioso com o restante dafamlia. No havia motivo para se queixar. James admitiu a si mesmo que,naquela noite, estava muito propenso a reclamaes.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    43/259

    Tivera um dia horrvel no trabalho. A empresa de engenharia, em cujodepartamento de finanas ele trabalhava, passara por um processo dereestruturao nos ltimos meses. Naquele dia, rumores infindveisculminaram com o anncio de que haveria quatro demisses em cargos demenor importncia no seu departamento. As notcias deveriam serconfidenciais, mas obviamente acabaram se espalhando: quando ele saiu doescritrio, os membros mais jovens da equipe ainda estavam curvados sabresuas mesas. Alguns mantinham a cabea baixa, outros levantaram os olhos,assustados, quando ele passou. Todos tinham famlia e prestaes. Nenhumdeles podia se dar ao luxo de perder o emprego. Nenhum deles merecia isso.

    Quando chegou em Pinnacle Hall, estava muito deprimido com tudoaquilo. Ao estacionar o carro, decidiu que, quando Olivia perguntasse comotinha sido o seu dia, ele diria a verdade pela primeira vez. Talvez no contassetudo imediatamente, apenas o bastante para deix-la preocupada, para faz-laentender a tenso com a qual lidava. Mas ela no perguntou nada, e certoorgulho o impedira de contar sua histria voluntariamente, de admitir suavulnerabilidade. No queria que a mulher o visse como se ele fosse apenas maisum de seus projetos de caridade. Entre pneis abandonados e crianas comnecessidades especiais, um marido pattico.

    A essa altura, pensou James, ele j deveria ter se acostumado com Olivia,como fato de que ela no estava muito interessada nele, de que a vida dela erarepleta de outras preocupaes, de que dava mais ateno aos problemas desuas amigas tagarelas do que a ele. Afinal, os dois haviam conseguidoestabelecer uma vida estvel e funcional juntos. Se no eram almas gmeas,pelo menos havia um tipo de simbiose entre eles. Cada um cuidava da prpria

    vida, e tudo transcorria de maneira cordial nos pontos em que tinham algo emcomum. James se resignara a esse acordo tcito h muito tempo, achava que eratudo de que precisava. Mas no era. Ele precisava de mais, queria mais.Desejava uma vida diferente, antes que fosse tarde.

    Eu gostaria de propor um brinde.

    A voz de Harry interrompeu os pensamentos de James e ele franziu atesta. L estava ele: Harry Pinnacle, um dos homens mais bem-sucedidos dopas e futuro sogro de sua filha. James sabia que essa unio o tornava alvo dainveja de seus amigos e sabia que deveria estar feliz com a segurana financeira

    de Milly. Mas recusava-se a se alegrar como fato de ela se tornar membro dafamlia Pinnacle; ao contrrio da esposa, recusava-se a se deleitar com acuriosidade fascinada de seus amigos. Ele ouvira Olivia mencionar o nome deHarry numa conversa ao telefone, assumindo uma intimidade com ele que James sabia que ela no tinha. Ela explorava a situao ao mximo, e seucomportamento o deixava morto de vergonha. Certos dias, ele preferia queMilly nunca tivesse conhecido o filho de Harry Pinnacle.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    44/259

    Milly e Simon declarou Harry com sua voz rouca, que fazia comque suas declaraes parecessem mais importantes que as dos outros.

    Milly e Simon repetiu James, erguendo a pesada taa veneziana.

    Este vinho simplesmente delicioso disse Olivia.Voc e expert emvinhos como em todas as outras coisas, Harry?

    De jeito nenhum respondeu ele. Conto com pessoas de bom gostoque sugerem para mim o que comprar.

    Acho tudo igual.

    Ah, no acredito! Voc esta sendo modesto exclamou Olivia.Incrdulo, James observou a esposa tocar a mo de Harry com intimidade.Quem ela achava que era? Virou-se, ligeiramente enojado. O movimentochamou a ateno de Simon.

    Sade, James disse ele, erguendo a taa. Ao casamento. Sim -anuiu James, e bebeu um enorme gole de vinho.

    Ao casamento.

    AO VER TODOS BEBENDO, Simon sentiu um sbito n na garganta e tossiu.

    H uma pessoa faltando aqui esta noite, e eu gostaria de propor um

    brinde a ela. Ele ergueu sua taa. - A minha me.Houve um momento de silncio e ele notou que os olhares se voltaram

    para a cabeceira da mesa. Ento, Harry ergueu sua taa.

    Anne disse ele com expresso sria.

    Anne repetiram James e Milly.

    Era esse o nome dela? perguntou Olivia com o rosto corado. Eusempre achei que fosse Louise.

    No disse Simon. Era Anne.

    Bem disse Olivia se voc diz... Ela ergueu sua taa. A Anne.Anne Pinnacle. Ela bebeu e olhou para Milly, como se tivesse acabado de selembrar de algo. Voc no est planejando manter seu nome de solteira, no ,querida?

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Kinsella (1)

    45/259

    Acho que no respondeu Milly. Mas devo manter o nome Havill notrabalho.

    Ah, no! exclamou Olivia. Pode causar confuso.

    Melhor adotar o sobrenome Pinnacle para tudo!

    Acho uma boa ideia manter sua independncia, Milly disse James,concordando com a filha. O que voc acha, Simon? Voc se incomodaria seMilly mantivesse o sobrenome Havill?

    Para falar a verdade eu gostaria que compartilhssemos o mesmosobrenome. Afinal, nos iremos compartilhar todo o resto. Ele se virou paraMilly e sorriu. Mas, ao mesmo tempo, ficaria triste se Milly Havill deixasse deexistir. Afinal, foi por ela que eu me apaixonei.

    Muito comovente! exclamou James.

    Voc cogitaria mudar seu nome para Havill? perguntou Harry, dooutro lado da mesa. Simon olhou para o pai com determinao.

    Sim. Se Milly realmente quisesse.

    No! exclamou Olivia. Voc no quer, no , querida?

    No acho que voc teria mudado o seu nome pelo da mame, teriapapai? perguntou Simon.

    No. No teria.

    Bem continuou Simon, tenso , a diferena que estou preparadopara por meu casamento acima de qualquer coisa.

    A diferena repetiu Harry que o nome de solteira de sua me eraParry. J imaginou, Harry Parry! Olivia riu e Simon disparou-lhe um olharfurioso.

    A questo retrucou Simon em voz alta que o nome algo

    irrelevante. E o casal que faz um casamento dar certo. No os nomes. E voc, naturalmente, e expert em casamento replicou Harry.

    Sou mais do que voc! Pelo menos ainda no destru o meu! Todosficaram em silncio. Os Havill permaneceram com os olhos fixos em seuspratos. Simon olhou para o pai, ofegante. Ento, Harry deu de ombros.

  • 8/13/2019 Louca Para Casar - Sophie Ki