aula 02.2 fisiologia da mama

Download Aula 02.2   Fisiologia da Mama

Post on 09-Jan-2017

608 views

Category:

Education

13 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    Prof. Hamilton F. Nobrega

    Fisiologia da Mama

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    Fisiologia da Mama

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    Mamas so glndulas sudorparas modificadas

    da pele cuja funo produzir leite, fonte de

    alimento para a prole.

    So formadas por tecido glandular

    (parnquima), conjuntivo e adiposo.

    O desenvolvimento da mama inicia-se na 5

    semana da vida intrauterina, a partir da

    ectoderma, que posteriormente se projeta para

    a mesoderma.

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    O Parnquima mamrio possui 18 a 20 lobos.

    Cada lobo formado por um conjunto de alvolos,

    canalculos, ductos lactforos e ampolas

    lactforas.

    Os alvolos so formados por conjunto de clulas

    (lactforas e mioepiteliais) responsveis pela

    sntese do leite.

    Um conjunto de 10 a 100 alvolos denominam-se

    lbulos.

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    A mama adulta situa-se entre a 2 e 6 costela

    no eixo vertical entre o bordo externo do

    esterno e a linha mdio-axilar no eixo

    horizontal.

    constituda por:

    Pele

    Tecido subcutneo

    Tecido mamrio (parnquima e estroma)

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    A mama envolvida por tecido fascial,

    superficial e profundo.

    Ligamento Suspensor de Cooper - banda

    fibrosa que representa o suporte natural da

    mama.

    Do sustentao s mamas, conectando-as

    pele.

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    Na mulher adulta

    caracterizada como uma

    proeminncia arredondada

    ou cnica.

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    Possui arola com tecido

    pigmentado mais espesso que o

    resto da pele mamria devido a

    presena de numerosas glndulas

    sebceas.

    A papila mamria uma salincia

    cilndrica ou cnica localizada na

    topografia do 4 espao intercostal,

    com superfcie irregular com

    numerosos orifcios (canais

    lactferos)

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    Deriva principalmente dos ramos perfurantes da

    artria mamria interna (60%) e da artria

    torcica lateral (30%) e de ramos da

    toracoacromial, intercostais, subescapular e

    toracodorsal (10%).

    As principais veias que drenam a parede

    torcica e a mama so derivadas da veia

    torcica

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    A mama um rgo dinmico susceptvel a

    flutuaes hormonais cclicas.

    A telarca precede a menarca e a partir da

    estimulao hormonal, os botes mamrios

    aumentam, os ductos crescem para ttrs e o

    desenvolvimento lobular comea.

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    O hipotlamo libera o hormnio gonadotropina

    (GnRH) que atua promovendo a sntese de

    hormnios hipofisrios na regio anterior da

    hipfise. So eles:

    Hormnio folculo estimulante (FSH)

    Hormnio luteinizante (LH)

    Estes agem no ovrio como resposta

    secreo de estrognio e progesterona

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    Galactopoiese a etapa na qual se mantm a

    produo lctea.

    Descreve-se a prolactina como hormnio

    galactopoitico mais importante.

    Cortisol, insulina e GH tambm so citados na

    manuteno lctea.

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    A ocitocina outro hormnio (hipotlamo) que

    age nas clulas mioepoteliais que circundam as

    paredes externas dos alvolos, fazendo com

    que essas se contraiam ejetando o leite dos

    alvolos para os ductos.

    O estmulo primrio a suco do complexo

    papilo-areolar.

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    Perodo

    (dia)Alterao

    3 ao 7

    Fase

    Proliferativa

    H predominncia do FSH (crescimento folicular ovariano)

    Aumento na taxa de mitose nas clulas acinares

    (proliferao celular)

    8 ao 14

    Fase

    Folicular

    Pico de LH, ocorre ovulao.

    Reduo na atividade mittica das clulas acinares.

    15 ao 20

    Fase Ltea

    Ovrios secretam grandes quantidades de progesterona e

    estrognio.

    Surgem secrees os ductos. Tecidos mamrios tornam-se

    edemaciados pela congesto venosa (desconforto)

    28

    Fase

    Menstrual

    No havendo fecundao, h involuo do corpo lteo

    (menstruao).

    Na mama, cessa a secreo ativa.

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    Menstruao

    Gravidez

    Lactao

    Menopausa

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA

    importante lembrar que a

    maioria dos cnceres (aprox.

    70%) desenvolvem-se no

    parnquima, imediatamente

    abaixo da gordura

    subcutnea ou anterior a

    gordura retromamria, onde

    encontra-se a maior parte do

    tecido glandular.

  • INSTITUTO DE EDUCAO SUPERIOR DO BRASIL IESB

    FACULDADE MONTENEGRO FAM

    CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAO FSICA